Flex Control

As pranchas de surf flexionam até cerca de uma polegada. É muita coisa. Isso transforma o rocker e vai muito além do 1/8 que nós shapers tanto nos preocupamos.

Testei a flexibilidade do carbono, que é mais rígido e tem mais velocidade no retorno da flexão. O kevlar é mais flexível e facilita as manobras e a madeira tem flexibilidade intermediaria.

Termo Moldagem

Um grande desafio que encontrei na minha carreira foi a impossibilidade de reproduzir as pranchas mágicas no método comum. O surfista tem uma prancha mágica, faz uma série de bons resultados, daí a prancha quebra e o cara não arruma mais nada pelo resto do ano.
Trabalhei com muitas formas de construção de pranchas: vácuo, estufa, até que cheguei na termo-moldagem, método desenvolvido pelo inventor Jair Fernandes, o “Maxuxo”, em mais de 30 anos de trabalho. Molde, prensa, macaco hidráulico de 30 toneladas e mais uma série de ferramentas que nós mesmos desenvolvemos, tudo diferente. A forma da prancha não é definida no bloco, mas na laminação, a prancha sai pronta do molde e não requer lixa.
As Powerlight duram 100% a mais, são 20% mais flutuantes e 30% mais leves que as pranchas convencionais, além de termos o Sup mais leve do mercado.
O custo benefício é muito grande pois enquanto se usa 3 pranchas de método comum a Powerlight ainda estará nova.

Clique na imagem para ver a galeria